iBOM | Dedicação e vontade de alguns fazem uma BD mais agradável



140x140
Bom Despacho (MG), 21 de fevereiro de 2018

Dedicação e vontade de alguns fazem uma BD mais agradável

Foto: PMBD
Publicado em 31/01/2018 10:13:01

DENISE COIMBRA - Há cinco anos voltei a morar em Bom Despacho. Lembro-me que eu, meus irmãos Alberto e Maurílio e um grupo de conterrâneos e amigos, incluindo Célio Luquini, Jusara, Alcione, Robson, Malê, Fatinha, Jeanete, Ricardo e Maurício decidimos comemorar a passagem do ano de 2012 para 2013 plantando 256 mudas de amoras, ipês roxo, rosa, amarelo e branco, aroeira salsa, pau ferro, ameixas, goiabas, jamelão, mangas, oiti, pitangas e jenipapos ao longo do canteiro central da Avenida Dr. Roberto.

De lá para cá, muitas ações em prol do meio ambiente e do embelezamento de nossa cidade estão sendo tomadas num processo de dar inveja aos cidadãos de metrópoles do Brasil e do mundo.

A iniciativa mais respeitável foi a criação do Grupo de Voluntários, que obteve a adesão de pedreiros, marceneiros, empresários, servidores públicos, donas de casa, profissionais liberais, dentre tantos, que se engajaram para transformar espaços, muitas vezes vazios e abandonados anteriormente, embora designados ou reservados como praças, em vários bairros de Bom Despacho.

JK, Santa Lúcia, Jaraguá, Esplanada, São Vicente, Conjunto Pedro Tavares Gontijo e Babilônia foram agraciados pela decisão de um pequeno grupo de moradores que, a despeito de críticas e dificuldades comuns a toda iniciativa que privilegie o bem comum, uniram-se ao Grupo de Voluntários e em parceria com a Prefeitura realizaram o sonho de usufruírem do espaço mais democrático a que temos direito, que é ter uma praça, preferencialmente o mais perto de onde moramos. A última? Foi a Praça Esmeralda que fica no Engenho do Ribeiro. A próxima? A praça Rerum Novarum no bairro Dom Joaquim.

Desde o projeto para cada praça até a escolha das mudas e dos brinquedos é o grupo de moradores que define, juntamente com o Grupo de Voluntários.

É interessante observar que à medida que as árvores crescem e os brinquedos são instalados, as pessoas começam a freqüentar o espaço, ainda um pouco tímidas ou receosas. Aos poucos começam a perceber que a beleza maior está no cuidado que cada um deve ter com aquilo que não é de ninguém porque é de todos.

Semana passada instalaram um balanço e um banco na praça do bairro Esplanada, perto de onde moro. Não deu outra. Imediatamente, eu e minha mãe fomos experimentar o balanço e o banco. O horário? 21 horas. “Para ser feliz não há hora, mas lugar melhor que este não há” disse minha mãe enquanto balançava sem parar...

Parecíamos duas crianças, conversando e rindo como há muito tempo não fazíamos.

Num momento em que o país e o mundo têm ofertado o que há de pior para o bem comum, é maravilhoso testemunhar a dedicação e a vontade de alguns moradores de uma cidade do interior, cujos gestos e ações tornam mais agradável e significativo o viver de todos.

Que venham os parklets, novas praças, o parque da Mata do Batalhão e que todos os moradores possam usufruir dos espaços públicos e que sejamos capazes de prazeroso convívio contrariando os pessimistas, os egoístas, os golpistas e os terroristas de plantão!

Ah! O mirante da praça do Esplanada está quase pronto. Desde menina sonho subir nele para ver o nascer do sol e da lua e, deitada, mirar o céu estrelado. Depois que espalhei a notícia a brincadeira promete ser boa.

Denise Coimbra é psicóloga e escritora



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.