iBOM | Historinhas de fim do mundo do passado e dos tempos atuais



140x140
Bom Despacho (MG), 23 de janeiro de 2018

Historinhas de fim do mundo do passado e dos tempos atuais

Imagem ilustrativa
Publicado em 10/01/2018 20:13:43

TADEU ARAÚJO - Crônicas antigas relatam que, na Europa, o ano 1000 seria fatídico. Segundo antigas profecias o mundo se acabaria naquela data. Quando ela se aproximou, o terror se apoderou de parte da humanidade. Esse medo levou muita gente a suicidar-se, tão terrível seriam os últimos dias para todos na Terra. Para os que se mataram o mundo realmente acabou, mas o ano 1000 chegou e rompeu anos e depois séculos afora e tudo continuou como era antes.

Cometa Halley – o apocalipse

De 79 em 79 anos o cometa Halley passa próximo da Terra. Em 1907, quando ele se aproximou do planeta, Bom Despacho era um pequeno arraial com sua população sertaneja e iletrada. Para muitos sua aparição era o sinal dos tempos. Esses criam que era o anúncio do apocalipse, a chegada do anticristo, o fim do mundo. Ele aparecia nos céus com sua coroa brilhante e trazia pavor a nosso povo. Minha vó que contava então 20 anos de idade falava dele e do medo que todos tinham daquela estranha luz andante no céu. Uma luz que poderia ser um sinal de Deus ou uma manifestação de Belbzebu para castigar a humanidade pecadora.

Nunca se temeu e se rezou tanto. Foi tanta reza que ela e seus contemporâneos acreditaram que, por causa de suas preces, Deus levou o sinal do maligno para longe e salvou o mundo da destruição.

De mil passará, a 2000 não chegará.

Um velho provérbio dizia: “O mundo de 1000 passará, a 2000 não chegará.”

Por isso pessoas temerosas pelo mundo afora mantinham esse receio do fim do mundo antes da entrada do ano 2000. Houve gente que se sentiu aliviada quando ele entrou sem transtornos e se benzeu aliviada quando a velha terra continuou intacta nos abrigando em seu seio maternal.

2012: a profecia dos povos maias

Os Maias foram uma das civilizações mais brilhantes do Novo Mundo, na América Central, ao lado dos Astecas no México e dos Incas na América do Sul. Estudiosos desse povo alarmaram o mundo quando revelaram que um profecia maia previa nosso fim para 2012. Até um filme hollywoodiano foi exibido com toda a sua pompa abordando o assunto. Ele mostrava tsunamis, terremotos, erupções mundiais de vulcões e o esfacelamento da Terra aterrorizando a humanidade e extinguindo-a e a todos os seus habitantes.

2012 passou e até nossa cidade comemorou pacificamente seu centenário e tudo ficou como dantes, desmentindo as previsões maias.

2017: o meteoro assassino

A primeira notícia que li sobre esse asteroide foi em abril de 2017. Um cientista russo da NASA afirmou que um grande meteoro estava em rota de colisão com a Terra e ameaçava a vida em nosso planeta azul.

Mas uma notícia terrível dessa, dada de modo tão chocante, foi logo retocada pela própria NASA, corrigindo o seu imprudente cientista: “O tal meteoro vinha mesmo em nossa direção, mas passaria a milhões de quilômetros de nós.” Creio que a NASA disse que seria a 200 milhões de km de distância.

O mesmo jornal “O Tempo”, que costumo ler na lanchonete perto do Millenium, noticiou seguidamente: em junho, que segundo a NASA o meteoro passaria a 120 milhões de km da terra. Em outubro, a 30 milhões. Em novembro: ele estará próximo da Terra cerca da distância da Lua: 384.400 km. Logo depois: Esse corpo celeste, que pode decretar o fim do nosso mundo, vai passar raspando nosso planeta.

O meteoro e a gata do Joaquim

Dizem que há anos e anos, o português Joaquim pegou um navio em sua pátria e veio passar uma temporada no Brasil. Deixava para traz sua idolatrada gatinha. Por isso pediu ao patrício Manoel que cuidasse dela em sua ausência como se ela fosse um ser humano. Uma pessoa muito amada da família.

O amigo jurou de mãos postas que o faria.

Três meses no Brasil, Joaquim recebe uma carta de Manoel: “Joaquim sua gata morreu!”

Aí quem quase morreu foi o pobre do Joaquim.

Então ele recebe uma carta do amigo: “Manoel, uma notícia trágica dessa não se dá de uma vez. Você quase me matou... Você deveria ter me preparado melhor. Primeiro escrevia dizendo: “Meu caro, sua gata subiu no telhado.” Uma semana depois me comunicaria: “Ela caiu do telhado.” E: “Ela se feriu gravemente.”

Quando viesse a triste notícia - sua gata morreu – eu já estava preparado e não sofreria tanto.

Daí a dois meses recebe outra carta de Manoel: “Meu estremado patrício, sua mãe subiu no telhado...”

Depois de ler as duas histórias – a da gata do Manoel e a da NASA - achei o enredo delas muito parecidos, por isso tô com a pulga atrás da orelha. Acho que o último boletim da NASA vai ser assim: bateu.

Tô com medo do mundo acabar. A única saída que encontrei foi a de seguir conselho dos caipiras de radinho de antigamente: - Uai, cumpade, dizem que o mundo vai acabar. O que que é que nós vai fazer?

Ao que o outro respondeu: - Preocupa não, cumpade, nós foge pro estrangeiro.

É a única saída, em caso como esse, é fugir pro estrangeiro. Vamimboralá!!!

Tadeu Araújo é professor, escritor e fundador da ABDL



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.