iBOM | Educadores de BD receberam a Medalha Professor Majela



140x140
Bom Despacho (MG), 23 de janeiro de 2018

Educadores de BD receberam a Medalha Professor Majela

Publicado em 04/11/2017 11:39:04

TADEU ARAÚJO - Discurso que pronunciei, a convite, na cerimônia de entrega, pela prefeitura, da Medalha Professor Majela para educadores do município, dia 1º de novembro, no SESC/ BD, em três categorias: A Grande Medalha Professor Majela, para aposentados, Honra ao Mérito, aos que estão na ativa, Mérito Especial, concedido a mim e à professora Maria das Graças Ávila de Sousa.

Autoridades presentes, professores e funcionários homenageados, meus senhores e senhoras.

Sinto-me honrado em fazer parte dessa efeméride, diante de tão seleto auditório, aqui nos palcos do salão do SESC. Feliz a cidade que reconhece o valor de seus educadores e os homenageia em vida. A Prefeitura Municipal de Bom Despacho criou em boa hora a Grande Medalha Professor Geraldo Majela para agraciar os nossos educadores. O nome do patrono foi escolhido, com muita propriedade e acerto, pelo prefeito Cabral, conhecedor dos vultos de nossa história.

O professor Majela, mineiro da cidade de Capelinha, na região de Diamantina, aqui chegou no ano de 1953. Veio para lecionar no recém fundado ginásio estadual. Por décadas e décadas, ele ocupou cadeiras as mais variadas e inimagináveis: Português, Literatura, Matemática, Física, Canto Orfeônico. Sua cultura impressionava. Era profundo conhecedor de História, Geografia e Ciências. Era músico, compositor, escritor, poeta. Lia fluentemente os clássicos das línguas hebraica, latina, grega, italiana, alemã, francesa, inglesa e espanhola.

Levar para casa hoje uma medalha com o nome desse incomparável mestre e exibi-la com carinho enobrece os nossos conhecimentos.

Aos meus caríssimos colegas, eu os abraço fraternalmente e os cumprimento pelo belo currículo escolar de cada um de vocês. Aqueles que cumpriram 25 anos ou mais da sagrada missão de ensinar e educar. Hoje, aposentados ou perto de fazê-lo, recebem da Prefeitura o reconhecimento pelo resultado de seu trabalho para a educação em nossa cidade, como outros ainda em plena atividade. A marcante história de suas vidas certamente ficará escrita com letras de ouro, em nossos anais, como educadores que fizeram a diferença na vida das pessoas. Em meio a tantos embates, essa certeza deixará uma marca de satisfação e dever cumprido na biografia de todos ora distinguidos, nesta data, com a Grande Medalha Professor Majela.

Aqui destaco o papel dos administradores públicos municipais, o Sr. Prefeito Fernando Cabral e a secretária de Educação Ivy Lilian da Silva por essa iniciativa que bem demonstra o seu apreço pela educação na Cidade das Três Colinas.

Quanto a mim, acho que bati o recorde de permanência nas salas de aula, em Bom Despacho. Por 58 anos, desde 1960, ininterruptamente, tenho lecionado. Primeiro, ainda nos meus 17 anos de idade, ministrei cursos de admissão para a primeira série ginasial. Passei pelo Miguel Gontijo, Wilson Lopes, Coronel Praxedes, João Dornas, Flávio Cançado, Tiradentes, Picão Camacho e pelo Colégio do Vieira, hoje Colégio Millenium.

Em 1965, estive ausente. Fui para Perdigão, onde ajudei o vigário holandês, Padre Tiago, a fundar o Ginásio Paroquial. E curiosamente, por falta de professores, na pequena cidade, lecionei temporariamente as disciplinas – além do Português – Matemática e Inglês. No município de Bom Despacho, ocupei o cargo de Secretário da Educação, nos anos 80, durante o mandato do Prefeito Antônio Leite.

O meu professor de pedagogia afirmava: “A melhor didática é querer ensinar.” Cerca de 30 anos atrás, perguntei ao aluno Marcelo Anacleto o que a turma dele achava das minhas aulas. Sua resposta foi o maior elogio que recebi até hoje como professor: “Tadeu, eles dizem que você faz tudo para o aluno aprender.”

Nos momentos difíceis de minha carreira, quando estou meio desanimado no mister de ensinar, pensando que minhas aulas não estão com essa bola toda, a revelação do Marcelo me reanima e me dá forças pra continuar.

Exerci os cargos de diretor do Praxedes, vice-diretor do Miguel Gontijo e secretário, em 1967, do Wilson Lopes, no segundo ano de seu funcionamento. Em todas essas escolas ocupei a cadeira de Língua Portuguesa. Depois de aposentado, continuei minha jornada como docente de cursinhos de pré-vestibular e de preparação para concursos públicos. Atualmente tenho a ventura de contar, entre meus alunos, membros da Polícia Civil, oficiais e praças da Polícia Militar e das Forças Armadas. Professores, médicos, dentistas, advogados, psicólogos, engenheiros, veterinários, funcionários e servidores dos poderes executivo, legislativo e judiciário e outros mais.

Sei que cada um dos companheiros, que dividem comigo a honra de merecermos tão insigne outorga da Prefeitura Municipal de Bom Despacho, se subissem aqui onde estou, teriam relatos relevantes de suas carreiras de educadores por tantos anos. Então é por isso que os reverencio, caríssimos colegas, e repito: feliz é a cidade que reconhece o valor de seus educadores e a Prefeitura que exalta sua missão com um gesto tão significativo, concedendo-nos o privilégio de sermos honrados com a medalha Professor Geraldo Majela de Melo Santos, exemplo de mestre para todas as gerações. Boa noite. Muito obrigado.

Tadeu Araújo é professor, escritor e fundador da ABDL



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.