iBOM | Um gesto simples e poderoso que traz benefícios para todos



140x140
Bom Despacho (MG), 22 de setembro de 2017

Um gesto simples e poderoso que traz benefícios para todos

Árvore da Moringa Oleifera
Publicado em 07/09/2017 23:22:49

DENISE COIMBRA - No dia 20 de agosto recebi um pedido de Arnaldo Silva, fotojornalista, ambientalista e escritor bom-despachense. Arnaldo é membro do grupo de voluntários que realiza o plantio de árvores nas praças de Bom Despacho e tem sido um ativista incansável na defesa do meio ambiente em nossa cidade e região.

"Escreva sobre a Moringa Oleifera, Denise. Ela é uma árvore milagrosa!" Foram as palavras dele. Além delas, mandou-me links com artigos que tratam sobre os incontáveis benefícios obtidos a partir do uso dela para a saúde, os quais disponibilizo no final deste artigo.

Soube então que a Moringa Oleifera é uma árvore originária do norte da Índia, Etiópia, Filipinas e Sudão e é bastante cultivada no Continente Africano, Ásia Tropical, América Latina, Caribe, Flórida e ilhas do Pacífico. No Brasil, em alguns lugares do Nordeste, ela é conhecida como Lírio-Branco e Quiabo de Quina e é bastante utilizada como suplemento alimentar, sendo oferecida em inúmeras escolas no combate à desnutrição. O saber popular afirma que a planta combate 300 enfermidades. Na África ela é denominada como "a grande amiga da mamãe". Seus poderosos nutrientes substituem a carne, o leite e vários legumes. Talvez por isso muitos se refiram a ela, como "a árvore da vida." Uma esperança no combate à fome. Também considerada uma verdadeira farmácia natural.

As flores podem ser consumidas em forma de chá. As ervilhas verdes podem ser comidas cozidas. As folhas transformadas em pó são utilizadas para tratar problemas circulatórios. A planta é usada como remédio para baixar o colesterol e os açúcares no sangue, para tratar problemas circulatórios, resfriados, contra parasitas, espasmos, úlceras e inflamações, dores de cabeça ou acne. Pesquisas realizadas pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação) demonstraram que a Moringa Oleifera tem propriedades antibióticas.

Ao receber o pedido de Arnaldo percebi a importância de termos ao nosso lado pessoas com preocupação e atitudes em prol da melhoria da saúde de forma simples e natural e, muitas vezes, pouco onerosa. Lembrei-me então de meu pai, morto há 10 anos. Sinto-o também nos chás de ervas que colho e faço. Nos pés de café, manga e abacate plantados por ele no quintal de nossa casa. Na pequena horta em frente à cozinha. Símbolos de uma vida saudável que ainda não incorporei. Se ele estivesse aqui, leríamos juntos o livro Plantas Que Curam para tirar dúvidas sobre a melhor forma de utilizarmos as ervas e as plantas medicinais para tratar o adoecimento dos membros de nossa família. Recordo-me de que na casa ao lado morava o "Sô" Genésio, nosso querido vizinho, o maior raizeiro que conheci em nossa cidade e, arrisco afirmar, na região. Ele tinha sempre as plantas mais comuns e também as mais raras ervas para socorrer a quem o procurasse. Sinto demais o fato de ele ter morrido sem ter deixado o registro do seu importante legado.

No momento em que escrevo este artigo, o presidente do Brasil, a quem todo cidadão deve refugar, publica um ignóbil decreto que permite a exploração mineral na Amazônia. Considerada o único pulmão do mundo ela sofrerá um desmatamento do tamanho da Dinamarca. De antemão, falta-me o ar. Engasgo, mas recuso-me a engolir tamanha crueldade com o povo brasileiro. Todos sabem que a comercialização de ervas medicinais no Brasil é uma prática antiga e, "no Amazonas, ganha mais força com as substâncias oriundas da Floresta Amazônica." Exploradas de forma legal e sustentável e são fonte de renda e sustento para famílias de baixa renda. Serão os mais prejudicados!

O pedido de Arnaldo Silva me salva da descrença e da desesperança de um futuro digno para nossas filhas e filhos, netos e netas e sabe por quê, leitor? Arnaldo informou-me que fará doações de sementes da Moringa para escolas e associações assistenciais que tenham horta coletiva aqui em Bom Despacho. Informou-me também que o Saul Pádua, que é também membro do grupo de voluntários, fará doações individuais para amigos e qualquer pessoa que queira. É incrível a oferta de tempo e conhecimento em prol da comunidade que os participantes desse grupo têm. Eis a potência de crescimento e desenvolvimento da cidade, quiçá do país. Gestos simples e poderosos ao alcance de cada cidadão e cidadã: eis o alimento milagroso da cidadania!

Denise Coimbra é psicóloga e escritora



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.