iBOM | Os vilões da falta d’água no mundo, no Brasil e em BD



140x140
Bom Despacho (MG), 19 de novembro de 2017

Os vilões da falta d’água no mundo, no Brasil e em BD

Rio Capivari, em Bom Despacho: seco.
Publicado em 06/09/2017 10:26:54

TADEU ARAÚJO - Segundo estudos científicos, a mãe Terra sustentaria folgadamente 1.500.000.000 (um bilhão e quinhentas milhões) de pessoas com nosso modo de vida capitalista e consumista de predadores dos recursos do planeta. Um desses preciosos recursos, a água. Mas somos mais de 7.000.000.000 (sete bilhões) de predadores que nos levam para um tragédia incalculável. Talvez o fim da raça humana.

Vilão número 1: o povo?
O povo, para certos governantes e empresários, é o maior vilão. Haja vista, o governo do atual presidente traíra e golpista – Temer. Ele e nossa Justiça só pensam cobrar sacrifícios da população em geral e umas merrecas de alguns políticos corruptos... Contanto que ele mesmo, o Mr. Presidente, fique de fora.

As elites na boa
Não precisamos disso para salvar o Brasil, onde as maiores empresas devem ao INSS R$ 1.000.000.000.000, isso mesmo, um trilhão de reais e não pagam e nem mister Temer nem seu governo cobram delas. Assim, o Brasil fica como um botequim que vende fiado e não recebe a conta de seus devedores. Não agüenta. Vai pro buraco. Vai fechar.

O imposto no primeiro mundo
O primeiro mundo é primeiro mundo porque lá o governo cobra com seriedade o imposto de todos os seus cidadãos. Lá a sonegação, principalmente dos grandes, é crime. Dá cadeia. Aqui estão é presenteando os sonegadores com amáveis e colossais perdões.  

A bancada ruralista
O país está afundando por falta de verbas e o presidente Traíra dá um perdão de 10 bilhões para os riquíssimos produtores rurais do Mato Grosso, certamente visando ganhar votos da bancada ruralista para ajudá-lo a se livrar de suas múltiplas acusações de corrupção. Sonegação e cadeia lá, benesses aqui

Lá - Al Capone
Nos Estados Unidos, o gangster Al Capone, que assassinou centenas de inimigos no mundo do crime, nunca foi condenado por isso e nem pelos contrabandos. A eficiente justiça americana não conseguiu provar nada contra ele. E ele vivia livre como um passarinho. Mas ele morreu em Alcatraz, onde ficou preso até a sua morte por sonegar imposto.

Aqui - A Globo
Segundo reportagem de Paulo Henrique Amorim, a Globo sonegou com maquiagens fiscais milhões de impostos ao fisco federal. Dos milhões que deviam, suas dívidas foram para uns míseros 900 mil que, segundo a Record, a Globo ainda não pagou e ninguém foi preso por isso

Lá - Empire State
O Empire State foi, por muito tempo, o maior e o mais badalado edifício de Nova Iorque. Ainda hoje impressiona pelos seus 102 andares que devem valer alguns bilhões de dólares. Pois bem, sua multimilionária proprietária, há alguns anos, penou arás das grades, por dois anos e meio, porque não pagou os impostos e ludibriara o fisco de seu país.

Aqui – a conivência da mídia
Na Terra de Santa Cruz, os mais pobres pagam impostos cada vez mais exorbitantes, embutidos nos produtos que consumimos ou cobrados nas folhas de pagamentos de assalariados.

E os grandes não pagam nem um terço ou nada do que devem aos cofres públicos. Roubam assim recursos para a educação dos jovens e das crianças, para os leitos de hospitais, para urbanização das cidades, para asfalto nas estradas, para geração de empregos, para combate à violência. Isto com o silêncio e a conivência da mídia que nada denuncia, para não ficar sem as polpudas verbas das propagandas pegas pelos sonegadores milionários.

Messi, Cristiano e Neimar (na Espanha)
Acusados de sonegação fiscal, os três maiores ídolos da Espanha estão entre os donos das mais elevadas fortunas daquele país. Neimar todo dia tem de pagar pesadas multas pelo dinheiro que ele e o pai dele deixaram de pagar ao governo. A última reposição que lhe foi cobrada foi de 500 mil reais. Pra ele foi fácil. Com os 500 mil, que recebeu no Brasil, pela conquista das Olimpíadas, quitou parte de sua dívida lá na Catalunha.

Messi, além de ser cobrado em milhões pelo fisco, foi condenado a três anos e meio de cadeia, por estar lesando a Espanha e a seu povo, por causa de recursos sonegados por ele.

Cristiano Ronaldo, pego na malha fina espanhola, está sendo convocado a devolver ao governo 103 milhões entre multas e sonegações que ele praticou.

Neimar (no Brasil)
Enquanto isto aqui na pátria das mamatas, o jornal O Tempo, numa pequena nota num pé de página, noticiou que Neimar tinha “negociado” sua dívida no processo com o imposto de renda de “sua amada pátria Brasil”. Com artimanhas, provavelmente, suas dívidas fiscais de 181 milhões seriam reduzidas para uma suave taxa de 8 milhões.

Então os governos perdoam as dívidas dos grandes e elegem um vilão e descem o cassete nos bolsos e nos lares dos brasileiros mais pobres.

Não é à toa que o New York Times publicou que Temer – o destemido - está criando um país de miseráveis

Os vilões da falta d’água em BD
Numa roda de amigos, surgiu o assunto da falta de água nas terras banhadas pelo humilde e heróico Capivari. Aventaram-s e então os vilões dessa tragédia:

Vilão número 1– A Copasa: Mesmo arrecadando milhões das penas d’água do município, ela não investiu na solução do problema que até o César Mata Feio sabia que vinha por aí.

Vilão número 2– A prefeitura municipal onde entra prefeito, sai prefeito, nenhum cuidou de cobrar da Copasa projetos de captação.

Vilão número 3– A Câmara Municipal, onde, entra vereador, sai vereador, não exigiu da Copasa investimentos decentes que evitassem o que todos sabiam que iria acontecer.

Vilão número 4– O povo, acusado de usar mal os recursos hídricos, de abusar no consumo, de desperdiçar água.

Castigo para o povo
Os três primeiros vilões pela crise da água em Bom Despacho, me perdoem a má palavra, mas resolveram tirar “os deles da reta” e ferro na boneca. Ferro no povo.

Circula na Internet uma lei aprovada no nosso Legislativo Municipal cobrando atitude de nossa população ante o consumo de água. Nela os edis preveem castigos homéricos e muito rigor com o povo, que eles parecem ter identificado como réus únicos da nossa deficiência “aquosa”

E os outros culpados?

O povo já foi identificado, cobrado, julgado e condenado e submetido aos rigores de uma nova lei da Câmara Municipal. Tenho visto entre meus concidadãos a atitude de assumirem sua culpa, mas também de apontarem a inércia e a culpa dos principais responsáveis por esse assunto, que tanta preocupação e dificuldades vêm trazendo à comunidade em geral. Só, assim, nós todos vilões, Pedros e Paulos, conscientes de nossas falhas, chegaremos a uma solução perene para o uso do precioso H2O, a água: Copasa, Prefeitura, Câmara e Povo.

Resta a Biquinha
Se nada der certo... Se a água acabar... Jonas, o ateu incrédulo, diz que não adianta rezar... Mas nem tudo está perdido, diz ele, resta-nos a Biquinha... Todos de balde na mão... Latas e potes com rodilha, na cabeça ... E vamos buscar água na Biquinha, como faziam nossos avós, mais de duzentos anos atrás, pra lavar os pés, a cara e os olhos, pro banho semanal e pra cozinha.

E adeus fartura.

Tadeu Araújo é professor, escritor e fundador da ABL



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.