iBOM | Feche a torneira para não ficar sem água, pois situação é grave



140x140
Bom Despacho (MG), 23 de novembro de 2017

Feche a torneira para não ficar sem água, pois situação é grave

Copasa retira últimas gotas de água do Rio Capivari
Publicado em 18/08/2017 06:39:48

FERNANDO CABRAL - Nossa água está chegando ao fim. As cisternas estão secas; os ribeirões não correm; as lagoas sumiram. O Rio Capivari, nossa principal fonte de água potável, não resistirá até o final de setembro. O racionamento virá. E virá muito antes do que se pensa.

Os alertas contra o desperdício estão por todos os lados. Nos chafarizes do Engenho do Ribeiro não corre mais do que um filete de água. O Córrego das Palmeiras mal molha o fundo do canal. O Lambari dá vau abaixo da usina. Hoje ali se atravessa molhando só a sola do sapato.

Quem precisa de cisterna só tem estória triste para contar. Não importa quanto se lhe dê fundo, a água não reaparece. Dos olhos d’água já não saem nem lágrimas furtivas.

Na manutenção das estradas rurais não é possível fazer um bom serviço porque não há onde o caminhão pipa pegar água para compactar a terra.

Em tempos assim, olhamos para o Rio Capivari com a esperança de que não seque. Mas este ano, nossa esperança poderá ser vã. No início de agosto seu nível já está abaixo do nível que só deveria atingir no final de setembro, pouco antes das primeiras chuvas.

O momento é sombrio e não deve ser pintado com tintas amenas. Todos terão que colaborar. E colaboração, neste caso, significa reduzir o consumo de água em pelo menos 40%. Em Bom Despacho não é difícil fazer isto. Nosso consumo médio é elevado. Aproxima-se de 200 litros por dia, por habitante. É muito. Por isto uma redução de 40% pode ser obtida sem grandes sacrifícios. No quadro, damos algumas sugestões de como fazê-lo.

Medidas para economizar água

• Tome banhos mais curtos

• Abra as torneiras só o necessário

• Feche as torneiras logo após o uso

• Não use mangueira para lavar piso, carro, varanda, passeio, rua

• Não jogue água com esguicho. Use bucha e sabão

• Limpe com vassoura e pano úmido

• Não deixe crianças brincando sob o chuveiro

• Não águe jardins

• Não apague poeira de rua jogando água

Com estas medidas simples, evitaremos o racionamento. Sem elas, o racionamento virá. E não demorará mais do que algumas semanas.

O paliativo e a esperança

A fim de amenizar o problema, a COPASA está furando alguns poços artesianos. No entanto, até o momento nenhum deu água. Isto, a despeito de um deles já ter atingido 140 metros. Mau sinal.

Podemos viver da esperança de que chova logo e chova muito. Se isto acontecer, o Rio Capivari conseguirá nos abastecer. Mas quem pode garantir que esta esperança se tornará realidade?

O sucesso dos poços depende quase do acaso de encontramos um bom veio. O sucesso das chuvas depende da inescrutável vontade da mãe natureza.

De certo, portanto, só nos resta aquilo que está ao nosso alcance fazer, aquilo que só depende da nossa vontade: guardar a mangueira no armário e fechar as torneiras.

Ah, e não se esqueça de tirar aquelas crianças do chuveiro!

Fernando Cabral é advogado, auditor federal e prefeito reeleito de BD



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.