iBOM | Gente que contribui para termos uma cidade melhor



140x140
Bom Despacho (MG), 22 de setembro de 2017

Gente que contribui para termos uma cidade melhor

Ricardo Aron, presidente; Felipe Prudente, vice; Helenita Gontijo, colaboradora; Lucas Bessas, colaborador; os demais são voluntários.
Publicado em 31/07/2017 14:17:20

TADEU ARAÚJO - O IDH – Índice de Desenvolvimento Humano – mede o grau de desenvolvimento de uma nação, estado ou cidade, com base na qualidade de vida de seu povo: saúde, educação, cultura, bem-estar social, meio ambiente, economia, emprego, etc.

Nesse aspecto, no mundo, destacam-se os países nórdicos da Europa: Suécia, Noruega, Finlândia, Dinamarca e outros mais ao sul, como Alemanha e Holanda. Vejamos alguns desses avanços no aprimoramento da consciência coletiva de nossa sociedade bom-despachense, de nosso IDH.

Cultura
A cidade ganhou em 2017 um centro cultural como nunca teve. Pela atitude magnânima da diretoria do Colégio Millenium, esse abriu suas portas para acolher artistas de variadas áreas: literatura, escultura, música,teatro, cinema e artes plásticas.

Assistimos também à cultura florescer no SESC. Na ABAP, crianças e jovens carentes aprendem a tocar uma diversidade de instrumentos musicais sob a orientação do maestro Nivaldo Santiago, alma pulsante do Coral Voz e Vida. Ainda temos os corais da Cibele e o do SESC, em pleno funcionamento. A Banda do 7º Batalhão e a Banda Civil revigoram-se, dia a dia. A Academia Bom-Despachense de Letras e o surgimento cada vez maior de escritores. A par disso surgem daqui e dali admiráveis escultores e artistas plásticos. Pena que os dois museus da cidade estão praticamente esquecidos, fechados, abandonados.

Meio ambiente
Bom Despacho tem hoje um parque florestal que é o pulmão verde da cidade, criado pela luta, por mais de 20 anos, de alguns heróicos cidadãos. É um desconsolo, porém, saber que nada foi feito até aqui principalmente pelo poder público em prol da Mata do Batalhão

Há de se louvar o projeto de proteção de nascentes do Rotary Clube Bom Despacho. Por ele já se reflorestou uma área na fazenda do José Olímpio, no “Deus me livre” e planeja-se agora recuperar matas ciliares do Ribeirão Capivari até suas origens em Santo Antônio do Monte.

Louvado seja Deus pelas mãos santas desses bravos semeadores de flores, de plantas e jardins nas ruas e praças da cidade. Esses guardiães mágicos do nosso meio ambiente. Nossos poetas, a criarem beleza, verdadeiras poesias com o mundo vegetal.

Andarilhos: promoção do ser humano
A triste cena de andarilhos maltrapilhos, famintos e doentes, amontoados nas ruas da cidade era um espetáculo de degradação que nos diminuía como espectadores indiferentes a eles, seres humanos abandonados à própria sorte. Um trabalho da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e de pessoas sensíveis ao sofrimento de nossos semelhantes conseguiu acolher esses pobres viventes, alimentá-los, dar-lhes condições mínimas de higiene. Aos poucos os encaminhou para suas terras e para suas famílias de origem. Hoje a situação mudou completamente e quase não os vemos perdidos em nosso meio.

Detentos: uma questão de piedade e de justiça
Por iniciativa do nosso poder Judiciário, de sua magistratura e do Ministério Público, foi criada a APAC, presidida e dirigida por cidadãos e cidadãs bom-despachenses. O projeto de criação de um presídio modelo já avança. Um vasto terreno foi prometido pela Prefeitura e medidas estão sendo tomadas pela construção de um prédio com muitos pavilhões. Nele os presos serão acolhidos em ambiente digno de um ser humano. Nele os detentos poderão trabalhar, estudar, ter assistência médica. Certamente, dali sairá a maioria deles reconstruídos como cidadãos aptos a viverem uma vida digna e respeitosa na sociedade.

Para a atual cadeia da cidade, que abriga, num espaço exíguo, dezenas de pessoas, em situação subumana, os voluntários humanistas e o Poder Judiciário já estão agindo e vêm criando um meio melhor que esse em que estão enjaulados os infratores da sociedade.

SOS Animais
Quem visse tempos atrás as matilhas famintas, sarnentas, magricelas, abandonadas pelos quatro cantos da cidade diria: essa é a terra de um povo sem alma nem coração. São Francisco se entristeceria, ao ver os irmãos cachorrinhos, em tão extremo sofrimento. Mas algumas vozes se ergueram contra essa barbárie. Bom Despacho deu sinal de vida inteligente pela atitude da associação Bicho Amigo. Graças a seus fundadores e a seu trabalho voluntário... E a sua dedicação... E ao seu chamado, a grande maioria dos cães de rua foram recolhidos e abrigados em local próprio na antiga Escola Agrícola. Lá agora recebem cuidados, alimentação, atenção e medicamentos. As fêmeas estão sendo castradas para evitar a proliferação da espécie.

Benditos sejam os promotores de nosso IDH
Parodiando Castro Alves quero dizer: Oh! Bendito aqueles que semeiam, à mancheia, dignidade para todos os seres vivos a seu redor. Bom Despacho por causa de vocês faz crescer seu IDH. Benditos os que socorrem os prisioneiros, os pobres, os miseráveis. Abençoados os que se apiedam dos animais. Vivam os que protegem os pássaros e os libertam de suas prisões, como os canarinhos, que agora, aos milhares tingem de amarelo-ouro o céu azul de nossa terra. Benditos os cultos, os sábios, os artistas, os educadores e aqueles que com carinho cuidam dos velhinhos de nosso asilo. Seja louvado o Rotary Club Bom Despacho que alfabetiza os adultos, ansiosos por aprender o BEABÁ.

Benditos sejam também todos que merecem nossos aplausos por muito fazerem pelo progresso e pelo humanismo da Cidade Sorriso e que hoje não pude ainda homenagear em minha coluna, no Jornal de Negócios, como meus Personagens da Semana.

Tadeu Araújo Teixeira é professor, escritor e fundador da ABDL



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.