iBOM | Ivan Ferreira: descoberto mais um escritor em BD



140x140
Bom Despacho (MG), 21 de setembro de 2017

Ivan Ferreira: descoberto mais um escritor em BD

O poeta Ivan Ferreira: surpresa
Publicado em 27/07/2017 09:50:41

TADEU ARAÚJO - A descoberta desse talento deve-se a Daniela Moreira Rocha e a Antônio Zeferino, de quem Ivan foi colega como funcionário da Prefeitura Municipal de Bom Despacho. Eles leram seu livro, que estava encaixotado, e tomaram a iniciativa de divulgá-lo com o meu apoio, da Secretaria de Cultura e da Biblioteca Municipal.

Ivan Ferreira dos Santos, ou Ivan do Zé Cozinheiro, depois de se formar em Direito, de passar por vários empregos, como Banco do Brasil, e de se aposentar na Prefeitura, se tornou muito popular mas, de repente, sumiu, convivendo com suas crises existenciais, psicológicas e depressões ... e escrevendo. E agora nos reaparece de surpresa como um poeta de encher nossas vistas e nossas emoções. Um poeta grande, que na publicação de seu primeiro livro, já pode ser considerado um dos grandes da literatura bom-despachense.

Ele se mostrou na obra – “Tubo de ensaio” – dono de um estilo vigoroso e belo. Na sua arte e nos seus versos, se mostra culto e revelador do âmago da criatura humana. Produziu com isso, em sua criação caleidoscópica, ora versos de saboroso humor, ora um de lirismo encantador. Ora feliz. Ora um coração cheio de dor. O seu sensualismo que cheira, às vezes, o erotismo de seus versos não ofende nem passa de jogo de palavras hilárias, geniais.

Não resisti e vou mostrar-lhes linhas esparsas colhidas aqui e ali nos versos do Ivan. Acho que vão gostar.

Ilusão: “Prefiro mil vezes a incerteza de um sim/ À inevitabilidade de um não/ Uma mínima possibilidade da conquista/ Ao deflagrar de uma nova ilusão...

Flor da Paraíba: Dengosa flor da Paraíba/ Suave perfume a s’evolar/ Lamento a pindaíba/ E não me queres amar...

Machado de Assis: Nada me faria mais feliz/ Que um caixinha de pó/ De Machado de Assis ...

Amém: O papel aceita tudo/ O pobre coitado também/ Por isso permaneces mudo/ Por isto me dizes amém...

Teus seios (parte): Ah! teus seios/ Peguei-os/ Achei-os/ Bem cheios/ Apalpei-os/ Afaguei-os/ Tilitei-os/ Apertei-os/ Beijei-os/ Mordisquei-os/ Suguei-os/ Mamei-os/ Molhei-os/ Teus seios/ São enleios/ Devaneios/ Bulinei-os/ Ah! teus mamilos ..

Fragilidade: Antes que a amarga saudade/ Roube-me algo que nunca tive/ Revelando o ser frágil que sou/ Busco satisfazer-me com tua lembrança/ Que é pouco, não nego/ Mas é tudo que me restou...

Daniela: Daniela/ Não me feche a janela/ Venha logo aos braços meus/ Daniela,/ A solidão é minha cela/ Onde morro de paixão.

Tadeu Araújo é professor, escritor e fundador da ABDL



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.