iBOM | A vontade de ajudar é o que nos motiva em Bom Despacho



140x140
Bom Despacho (MG), 22 de setembro de 2017

A vontade de ajudar é o que nos motiva em Bom Despacho

Publicado em 09/06/2017 11:08:47

DENISE COIMBRA - Escrevi esse artigo três dias antes de Bom Despacho completar 105 anos. Duas palavras insistem em invadir meu pensamento: tempo e cidade. Não descreverei aqui todas as transformações pelas quais Bom Despacho passou desde a sua fundação, causadas pelas pessoas que aqui viveram ou ainda vivem. Nosso querido memorialista, historiador e professor Tadeu Araújo trata dessa matéria há muito anos. Portanto, deixemos assim.

Pretendo aqui circunscrever o tempo e a cidade no período de janeiro até maio deste ano. Circulei pelas ruas, bares, lojas, pontos de ônibus e, claro, pelas praças em busca de um fato, um acontecimento que as pessoas considerassem importante, novo ou que merecesse destaque. Indaguei aos desconhecidos, amigos, visitantes, moradores que nasceram e sempre viveram aqui, moradores recém instalados, nascidos ou não em Bom Despacho.

O fato pronunciado pela maioria dos interpelados foi a criação de um grupo que tem como propósito o plantio de árvores em praças da cidade. O mais interessante foi a diversidade de motivos que as pessoas expuseram para explicar a existência recente do Grupo de Voluntários, eis o nome do grupo. Evidencio apenas três depoimentos. O espaço da coluna é pequeno, o tempo escasso e a nossa cidade com seus numerosos desafios é muito maior do que ela mesma, quiçá de um breve texto publicado semanalmente.

“Acho uma palhaçada, esses voluntários aí. De um dia pro outro plantando árvores, só querem aparecer. Estão fazendo política pro prefeito e, pior, fazem o trabalho que ele deveria estar fazendo.”

“Apareceram os voluntários plantando nas praças, acho que desde fevereiro ou março, mas não tenho nada a dizer, nem a favor nem contra.”

“Olha, sinceramente, eu admiro os voluntários. O que eles estão fazendo é exercer a cidadania e buscando melhorar a cidade. Mutirão sempre existiu em qualquer tempo e lugar do mundo. Sou totalmente a favor dessa iniciativa e ainda vou participar.”

Intrigada, comecei a pesquisar o tema. A ONU tem um programa de incentivo ao Voluntariado no mundo. No Brasil foi sancionada há algum tempo a Lei do Voluntariado.

Lembrei-me do meu pai, que sabia latim. - Quando quiser entender qualquer fato ou acontecimento comece pela palavra, dizia-me, com certa freqüência. Não deu outra. Parte do mistério e da explicação foi esclarecida para mim. A etimologia da palavra voluntário. Do latim: voluntarius – “que age por vontade própria”. Li no dicionário Houaiss.

Descobri também que no Brasil a maioria das ações voluntárias são de filantropia, ao contrário dos EUA cujas ações estão relacionadas à cidadania. Isso me fez entender o incômodo de alguns entrevistados. Não foram poucos os percalços, mudanças e desafios pelos quais Bom Despacho passou nesses 105 anos de existência. Ao caminhar pela cidade e conversar com as pessoas pude perceber como a ação do tempo alterou a estrutura urbana: a construção de prédios, a criação de novos bairros, o asfaltamento. Vi também como a cidade de hoje traz a marca dos esforços, trabalhos e sonhos das gerações passadas. Um deles foi a transformação do sentimento e de atitude dos moradores que perceberam para si e para a cidade os benefício físicos, psicológicos e sociais inestimáveis do voluntariado. Se a cidade mudou porque não mudariam o pensamento e ação daqueles que a fazem? O maior deles?

A união daqueles que decidiram agir por vontade própria promovendo o plantio e a revitalização das praças em nossa cidade. Soube que já fazem parte desse grupo quase 200 moradores. Eu também integro esse grupo. O motivo? Descobri, junto aos voluntários que a vontade de cuidar da nossa cidade, fazê-la melhor a cada dia, é o que nos move!

Denise Coimbra é psicóloga e escritora



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.