iBOM | Trabalho e vida: um gesto solidário faz toda a diferença!



140x140
Bom Despacho (MG), 23 de novembro de 2017

Trabalho e vida: um gesto solidário faz toda a diferença!

Imagem ilustrativa
Publicado em 08/05/2017 22:53:30

DENISE COIMBRA - No primeiro dia de maio, Dia do Trabalho, tive um encontro marcante com uma mãe cujo filho está preso na cadeia de Bom Despacho. Pediu-me que o ajudasse a conseguir um trabalho, pois desde fevereiro deste ano a justiça concedeu a ele o direito de trabalhar fora da cadeia. Entregou-me uma carta que, infelizmente, não consigo publica-la integralmente, mas selecionei dois trechos para que essa mãe fale com você também:

“Denise e demais membros da APAC Bom Despacho.

Força a todos vocês é o que desejo e coragem acima de tudo. Não assumiram uma tarefa fácil. Só por saber há quanto tempo lutaram pela concretização desse projeto, percebemos o quanto esta caminhada será árdua. A parte burocrática foi a legalização do projeto e será, de longe, o menor dos percalços que vão enfrentar até que tudo comece a funcionar e mostrar resultados para a sociedade. Não sei como alguém pode acreditar que prisão melhora um ser humano. Os filmes modernos e alguns documentários retratam bem a realidade das prisões no Brasil e no mundo e são casos raríssimos de Instituições Prisionais que têm programas que realmente recuperam e ressocializam seus detentos e os tornam seres melhores.”

“Imagina como me senti, sabendo destas coisas, quando, alguns anos depois, meu filho foi cair naquele lugar. Um menino que nunca deu problemas na Escola e participava de todas as atividades propostas pelos professores (teatros, excursões, palestras), que não foi um adolescente rebelde, começou a trabalhar com o pai aos quatorze anos (assim que chegava da escola) e que não era dado a farras e bebedeiras?”

Voltei para casa fortemente impactada. Tenho uma filha de quinze anos e descobri que a única maneira de ajudar essa mãe era colocar-me no lugar dela e lutar com todas as minhas forças e conhecimentos para mobilizar a rede de apoio que existe aqui em Bom Despacho. Precisamos conseguir um trabalho para o filho dela. Para minha alegria, sei que posso contar com a ajuda de muitos bom-despachenses. Contribuiremos para que mãe e filho possam estar juntos o quanto antes. Vão retomar os laços familiares, sentindo-se mais alegres e corajosos diante da vida repleta de obstáculos e acontecimentos inesperados.

Ressignificar a vida por meio do trabalho é fundamental. Conviver novamente com amigos, família e todos aqueles que o conhecem e sabem quem ele é. Reconstruir a sua história. Daqui em diante. Estar junto de nós, que é o lugar de todos aqueles que, após adquirirem o direito de sair da prisão para trabalhar ou definitivamente, têm. É necessário refletir profunda e corajosamente sobre isso. A justiça restaurativa só funciona se a comunidade realizar ações efetivas na recuperação dos presos. Não adianta afirmar que você já paga seus impostos, colocar grades e caros sistemas de segurança se o sistema de justiça criminal está falido e assistimos a um aumento contumaz da violência e da criminalidade. Segurança pública é um direito, mas é um dever nosso atuar em prol dela.

Trabalhadores, que todos somos, sabemos da importância do trabalho para contribuir com a vida em família e em comunidade. Se temos um trabalho digno onde colocamos o nosso potencial, habilidades e competências a favor de um mundo mais justo e fraterno, construimos efetivamente uma cultura da paz tão almejada por todos. A vida que se quer, se faz no cotidiano. O que não é fácil, muito menos sozinhos. Precisamos uns dos outros. Cuidar uns dos outros e da nossa cidade é nossa obrigação. Não só como valor cívico, mas como um princípio ético. Se você não está seguro disso, converse com seus familiares, o pastor da sua igreja, o padre da sua paróquia e membros de entidades sociais ou assistenciais que realizam um trabalho admirável em nossa cidade. Destaco essas pessoas e entidades em especial porque elas atuam em prol da fraternidade e da solidariedade tão necessárias para a vida em comum! Por isso, peço a cada um que me lê: um gesto solidário pode fazer a diferença na vida de Bom Despacho, cidade mãe de cada um de nós!

Denise Coimbra é psicóloga e escritora



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.