iBOM | Síndrome de Down: o cromossomo do amor de pessoas especiais



140x140
Bom Despacho (MG), 19 de novembro de 2017

Síndrome de Down: o cromossomo do amor de pessoas especiais

Publicado em 31/03/2017 17:35:35

DÉBORA RODRIGUES - Dia 21 de março foi o Dia Internacional da Síndrome de Down. Antes este dia não era propriamente de comemoração, mas de reivindicação. Porém, de uns anos para cá, 21 de março é também uma data para comemorar os avanços, além de reivindicar que eles continuem.

A prova de que aceitação é mesmo libertadora são os portadores dessa síndrome. Antes, quando eles eram obrigados a viver praticamente escondidos, sua expectativa de vida era de 25 anos. Agora que conquistaram espaço, eles vivem até a casa dos 60 e, com certeza, essa expectativa aumentará cada vez mais.

A sociedade começou a entender que a criança com o cromossomo extra tem capacidades iguais às outras. Apenas poderá demorar um pouco mais para demonstrá-las.

Quem convive com um portador dessa síndrome jura que esse cromossomo extra é o do amor. Geralmente, as crianças com Síndrome de Down são extremamente amorosas e carinhosas.

Claro que nem tudo são flores. A luta ainda será grande. Existem leis que resguardam os portadores da Síndrome de Down, porém algumas vezes essas leis não são respeitadas, porque nós, cidadãos, e até mesmo alguns profissionais da área, não temos conhecimento delas. Um exemplo é a lei estipulando que eles podem ser matriculados em qualquer escola, o que não acontece na prática. Algumas escolas ainda negam o ingresso desses alunos.

A diferença entre você e o portador da síndrome de Down é apenas uma: a oportunidade. Portanto, deixe seu pré-conceito de lado.

Débora Rodrigues é psicóloga e conselheira tutelar em BD



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.