iBOM | Para compreender o outro é necessário “entrar” dentro dele



140x140
Bom Despacho (MG), 21 de setembro de 2017

Para compreender o outro é necessário “entrar” dentro dele

Publicado em 12/01/2017 09:33:11

DÉBORA RODRIGUES - Empatia. Acho que é isso que falta para que possamos nos tornar pessoas melhores e mudar o mundo. Li uma vez que “empatia é estar dentro de outra pessoa”. Esse sempre foi um conceito que tive dificuldade de explicar. Acho o sentido muito abstrato para ser colocado na concretude de certas palavras. Eis que em meus devaneios literários, encontrei esse texto e quis muito trazê-lo para nós:

Era uma vez uma boneca de sal. Após peregrinar por terras áridas, descobriu o mar e não conseguiu compreendê-lo. Perguntou ao mar: “quem é você?”

E o mar respondeu: “sou o mar.”

Mas o que é o mar?”

E o mar respondeu: “o mar sou eu.”

Não entendo”, disse a boneca de sal, “mas gostaria muito de entender. como faço?”

O mar respondeu: “encoste em mim.”

Então, a boneca de sal timidamente encostou no mar com as pontas dos dedos do pé. Sentiu que começava a entender mas também sentiu que acabara de perder o pé, dissolvido na água.

Mar, o que você fez?!”

E o mar respondeu:

Eu te dei um pouco de mim e você me deu um pouco de você.”

Mesmo com medo, a boneca de sal começou a entrar no mar. Quanto mais entrava, e quanto mais se dissolvia, mais compreendia a enormidade do mar e da natureza, mas ainda faltava alguma coisa:

Afinal, o que é o mar?”

Então, foi coberta por uma onda. Em seu último momento de consciência individual, antes de diluir-se completamente na água, a boneca ainda conseguiu dizer:

O mar… o mar sou eu!”

Esse belíssimo texto consegue explicar o que é a empatia. Desconheço o autor, mas com certeza é alguém com enorme sabedoria. Quando a boneca de sal entra no mar, ela se mistura com ele, não apenas se coloca no lugar. Quando ela passa a ser o mar, ela começa a entender o que ele é.

É muito fácil dizer que tem empatia por uma pessoa ou causa à distância, sem vivenciar, sem ouvir o outro, sem conviver.

Tratar o outro como você gostaria de ser tratado também não é empatia. Empatia é tratar o outro como ELE gostaria de ser tratado. Cada pessoa é única e seu jeito pode não ser o melhor para ela.

Vamos nos misturar mais, “encostar” uns nos outros para que nos “dissolvamos” no mar de cada um e possamos entender um sobre o outro, para que esse sonho nosso de um mundo melhor se torne menos distante.

Débora Rodrigues é psicóloga e conselheira tutelar em BD



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.