iBOM | Quando está próximo de um bebê você conversa como ele?



140x140
Bom Despacho (MG), 19 de novembro de 2017

Quando está próximo de um bebê você conversa como ele?

Imagem ilustrativa
Publicado em 28/12/2016 14:17:00

DÉBORA RODRIGUES - A Universidade de Cambridge salvou comprovadamente a nós adultos de nos expor ao ridículo. É incrível como não conseguimos evitar de falar como bebês quando estamos na presença deles. Aos olhos de outros adultos, ficamos ridículos, é fato. Sobre os bebês, ainda é um mistério o que eles pensam quando fazemos isso.

Pois bem. Agora, graças a esse estudo, sabemos de uma coisa: quando imitamos a voz e o jeito de falar de um bebê para falar com outro, eles absorvem as coisas de forma mais eficiente. Para eles, é mais fácil compreender o que o outro está falando quando os imitamos, por incrível que pareça, assim as coisas ficam mais claras.

O estudo é enfático ao dizer que “quanto mais o bebê ouvi-la falar dessa maneira, melhor será o desenvolvimento de sua linguagem”, visto que ele se identificará e sua atenção estará presa naquele que ele toma como seu igual. Sem contar que, falando assim, as crianças se sentem mais amadas. Isso lhes dá segurança e nada melhor que autoconfiança para ajudar no aprendizado. Um fato curioso da pesquisa é que, independente de qual país ou língua seja, os adultos reproduzem a voz dos bebês ao falar com eles.

É bom deixar claro que falar como um bebê não é uma prática para se usar com crianças de três, quatro anos e sim até por volta de um aninho, quando a criança realmente começar a tentar falar as palavras de forma correta. O ideal é falar normalmente e baixo, para que ela aprenda cada sílaba.

Claro que existem outros profissionais que pensam diferente. Dizem que falar como o bebê não é produtivo em momento algum. Porém, a Universidade de Cambridge testou tal teoria e a comprova com dados, deixando por terra as especulações.

Agora você pode sair por aí falando como eles. Se alguém te criticar, diga que está ajudando no desenvolvimento do bebê. Não confesse que é porque falar assim diante de tamanha fofura é irresistível!.

Débora Rodrigues é psicóloga e conselheira tutelar em BD



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.