iBOM | Chupeta: quando e como tirar da criança sem trauma



140x140
Bom Despacho (MG), 21 de setembro de 2017

Chupeta: quando e como tirar da criança sem trauma

Foto ilustrativa
Publicado em 22/04/2016 10:10:14

DÉBORA RODRIGUES - Um assunto que geralmente causa terror nos pais é a retirada do bico, ou bubu, como geralmente chamam as crianças. Quando nascem, os bebês já sabem fazer o movimento de sucção. Esse movimento é instintivo, pois sem ele não conseguem se alimentar. Como a sucção serve para alimentação, que é algo prazeroso, o bebê logo associa esse movimento a algo bom, que acalma e traz satisfação. Por isso eles gostam tanto do bico - algo que nós apresentamos a eles para que se acalmem.

Nós temos a mania de achar que o choro do bebê deve ser sanado a qualquer custo. Pensamos que os vizinhos estão incomodados, que podem pensar que os pais não estão cuidando bem dele ou até que estão maltratando a criança. Ficamos com vergonha quando estamos em público e o bebê abre o berreiro, porque nos preocupamos que outros pensarão: “esses pais são tão ruins que nem conseguem acalmar o próprio filho”.

O que nem de longe é verdade!

Diante disso tudo, lá estamos nós enfiando o bico na boca dele a qualquer choro que apareça. E, pior, já vi crianças que não querem aquilo e pais que forçaram até que ela fique com o bico na boca “por que é bonitinho” (é sério?).

Pais e filhos estão em período de adaptação e acharão um meio de se comunicar e entender as necessidades de ambos. Não estou aqui fazendo uma campanha contra e chupeta, mas sugerindo que você tente, ouça seu filho e não tampe sua boca com um objeto para não ter que lidar com o que de fato o está incomodando. Pode ser que as pessoas realmente se incomodem com o choro dele, mas será passageiro e todos nós que queremos ser pais passaremos por esse tipo de coisa. Portanto, temos que ser tolerantes uns com os outros. Ofereça ajuda, ao invés de julgar.

Para algumas crianças que nascem prematuras e com dificuldade de sucção, alguns pediatras até indicam a inserção da chupeta, mas isso é outra história. Se não há uma indicação, tente sem, primeiro. Além disso tudo, há também os problemas ortodônticos que o bico traz.

Para as crianças que já fazem uso, é necessário que a chupeta seja tirada dela o mais cedo possível e que essa retirada seja de forma gradativa, para que não haja traumas. Vá limitando aos poucos e a cada dia mais e avise que está chegando a hora de não usar mais o bubu em momento algum. Você pode sugerir que ela o dê para uma criança mais novinha ou usar a fantasia, que é algo de fácil aceitação para elas. Uma vez li uma dica de uma fada da chupeta que passa, a pega e deixa um agrado para a criança, algo que ela goste muito, como uma troca. Não diga coisas como: “que feio, ele já é grande e ainda mama bico”, ou “seus coleguinhas não usam mais bico, só você”, ou ainda “só crianças bobas é que mamam bico com a sua idade”. Esse tipo de coisa não ajudará em nada. Só constrangerá a criança e a fará ter uma imagem ruim de si.

Mesmo com todo cuidado, a criança sentirá falta e nessa hora os pais é que deverão ser fortes e não dar o bico diante daquela carinha triste. Tenha paciência e dê ainda mais atenção para o pequeno nesse momento tão difícil para ele. No fim, valerá a pena.

Débora Rodrigues é psicóloga e conselheira tutelar em Bom Despacho.



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.