iBOM | Criança aprende por imitação, portanto dê bons exemplos



140x140
Bom Despacho (MG), 19 de novembro de 2017

Criança aprende por imitação, portanto dê bons exemplos

Foto ilustrativa
Publicado em 04/04/2016 09:46:55

DÉBORA RODRIGUES - A comunicação entre os pais e a criança é determinante para o comportamento dela. A forma como ela é tratada será o reflexo de como tratará ou ouvirá o outro. Muitas vezes, os pais reclamam do comportamento dos filhos sem perceber que as crianças estão apenas imitando a forma como eles se comportam. É importante muita atenção e cuidado como se fala e se age, principalmente quando os bebês estão aprendendo a se comunicar. A preocupação dos pais, geralmente, é apenas com a fala da criança e seu desenvolvimento, esquecendo que devemos também observar se a nossa comunicação está acessível ao entendimento deles.

É essencial que pronunciemos as palavras de forma correta, mas não é apenas isso que define a qualidade de nossa comunicação com as crianças. Além da dicção, devemos nos colocar no lugar dela, entrar no seu imaginário e perceber o que ela é capaz de entender ou não. Devemos escolher as palavras certas, principalmente para dar uma notícia mais séria como doença, morte, separação. Caso a notícia seja dada como se fosse para um adulto, a criança pode não entender muito bem o que está acontecendo e ficar ainda mais confusa.

Outro ponto que deve ser observado é o tom e o volume de voz do adulto que está ensinando algo. A voz dos adultos é mais grossa que a das crianças, portanto, mesmo sendo gentil, o adulto pode parecer grosseiro se não tomar cuidado no tom e volume em que está falando. Não adianta nada querer que os filhos façam silêncio e falem baixo se os adultos da casa falam alto o tempo todo. Digo e repito: criança aprende por imitação, portanto, você é quem deve dar o exemplo.

Para melhor entendimento do pequeno, as expressões faciais devem ser coerentes com aquilo que se fala. Se você irá dar uma bronca, não dê sorrindo, senão, a criança entenderá que aquilo que ela fez de errado o agradou. Quando for corrigir, não sorria, deixe o semblante fechado e quando for elogiar, brincar, ou acalentar, sorria para que a criança entenda que você está feliz com o comportamento dela.

Nessa correria em que vivemos, muitas vezes não damos a atenção necessária para as crianças quando elas precisam nos dizer algo. O engraçado é que quando vamos lhes falar alguma coisa, exigimos delas total atenção. Isso jamais irá funcionar! Quando a criança precisar falar com você, mesmo na pressa, dedique alguns minutos a ela para que depois ela também te ouça e te olhe nos olhos quando você precisar dela.

Não estou dizendo aqui que você tem que ser um pai atencioso, educativo e estar na linha 24 horas por dia. Educar não é fácil mesmo, mas com um pouco de boa vontade, compromisso, dedicação e esforço, tudo dará certo. Não se culpe quando pensar que fez algo inadequado no que diz respeito à educação do seu filho. Apenas reconheça que está tentando com tudo que pode e siga em frente. No fim, as recompensas virão.

Débora Rodrigues é psicóloga e conselheira tutelar em Bom Despacho



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.