iBOM | Os primeiros dias da criança na escola exigem mais cuidados



140x140
Bom Despacho (MG), 19 de novembro de 2017

Os primeiros dias da criança na escola exigem mais cuidados

Foto ilustrativa
Publicado em 16/02/2016 21:37:52

DÉBORA RODRIGUES - Segundo algumas pessoas, o Brasil só funciona após o carnaval. Então é hora de tudo voltar à sua rotina, inclusive a sala de aula.

Eu, particularmente, esperava ansiosa pela volta à escola. Na noite anterior, nem dormia de tanta animação para conhecer novos colegas, professores e matérias. Mas criança gostar que as aulas voltem é uma exceção e essa adaptação ao novo muitas vezes não é fácil, ainda mais se for a primeira vez do pequeno.

Quando são avisados de que irão para a escolinha tudo é festa! Escolhem os materiais com seus personagens favoritos e contam para todo mundo a novidade. Mas, ao chegar na escola e se depararem com um espaço novo, crianças novas e adultos que nunca viram, bate a insegurança e o choro rola solto. Elas ficam dentro da escolinha sofrendo e os pais na porta da escola fazendo a mesma coisa. A maioria fica de vigília no primeiro dia para socorrer a cria, caso necessário.

Uma coisa que os pais não podem fazer é matricular o filho simplesmente por que agora é moda crianças já saírem da barriga matriculados em alguma creche. É necessário que cada um veja sua necessidade. A decisão deve ser pensada única e exclusivamente pela família, e não seguir o que os outros pensam ser a idade certa para que a criança comece a vida acadêmica. Se em conjunto a família decidir que é a hora ou que é necessário colocar a criança na escola para que os pais trabalhem, coloquem. Caso não exista essa necessidade ou a família entenda que a criança ainda não está pronta, esperem. A família sabe o que é realmente bom para seu filho.

Após decidirem que a criança realmente vai para a escola, os pais devem procurar uma instituição de sua confiança buscando referências com outros pais e visitando o local onde seu filho passará a maior parte do tempo.

É necessário que os pais tenham sensibilidade e estrutura nesse processo. As crianças têm dificuldade de entender que os pais voltarão mais tarde para busca-las. Por isso muitas relutam em ficar na escolinha, pensando que serão abandonadas. No início é realmente difícil para a maioria das famílias, mas depois a criança perceberá que a escola só lhe trará coisas legais e o que era novo passará a fazer parte de sua vida. É só ter paciência.

Débora Rodrigues é psicóloga e conselheira tutelar em Bom Despacho.



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.